HOME - Cultura de Incenso - A cerimónia do incenso

Cultura de Incenso

A cerimónia do incenso

No período Sengoku (Estados hostis) da história japonesa, o Koh-Do (a cerimónia do incenso) espalhou-se entre aristocratas e samurais de alta patente, obtendo tanta popularidade como a cerimónia do chá.

No período Azuchi-Momoyama, conhecido como o período da renascença no Japão, as pessoas na classe alta realizavam, com frequência, eventos sociais e culturais para desfrutar de entretenimento como a cerimónia do chá, renga (poesia emparelhada) e peças de teatro Noh. O Koh-Do desempenhou uma importante função como um fenómeno cultural neste período.

Á medida em que as suas formalidades se foram desenvolvendo e apurando, o Koh-Do começou a ser reconhecido como um dos “geido”, uma das artes mais refinadas que devem ser realizadas seguindo certas regras e atitudes. Neste aspecto, o incenso Japonês ou koh é um tanto ou quanto diferente do perfume nos países ocidentais. Aí as pessoas não esperam nada mais do perfume do que a fragrância, mas esse não é o caso com o koh. O Koh-Do, não mais um passatempo inocente, prevaleceu além dos samurais e da classe nobre. Assim que os intelectuais como escritores, artistas, mercadores endinheirados e proprietários rurais começaram a adoptar as suas cerimónias, o incenso começou a exercer uma grande influência na caligrafia, literatura e cerimónia do chá, ocupando uma posição importante como um bem espiritual e não tangível, próprio da época.

Diz-se que o Koh-Do se estabeleceu, nos finais do século dezesseis, como uma espécie de um jogo. Dos fundadores do Koh-Do destacam-se Sanetaka Sanjonishi, um nobre de alta patente, Soushin Shino, um samurai que tinha estudado Jinkoh sob a orientação do Shogun Yoshimasa Ashikaga, e grandes especialistas como Sogi e Shohaku.

Mais tarde, o Koh-Do ramificou-se em várias escolas, das quais duas líderes sobreviveram: a escola Oie-ryu e a escola Shino-ryu. A primeira, criada por Sanetaka Sanjonishi, definiu as atitudes e métodos da realização do Koh-Do, dando mais ênfase nos aspectos literais do incenso. A Shino-ryu, a última, está mais organizada sistematicamente, dando ênfase considerável nas atitudes e cerimónia. A Oie-ryu perpetua o incenso como uma forma de jogo, passada pelos nobres da corte no período Heian. Por outro lado, a Shino-ryu, espalhou-se pelos samurais e classes mercantes abastadas.

Tendo sobrevivido à passagem do tempo, estas duas existem agora como as escolas líderes do Koh-Do actual.

Agora vejamos uma cerimónia Koh-Do verdadeira.

Otemae na cerimónia do incenso

Na cerimónia de incenso, os participantes desfrutam das fragrâncias do kohboku ou madeira com fragrância.

Agarwood As madeiras com fragrância incluem cedro, cipreste, etc.


No mundo da cerimónia de incenso, a madeira com fragrância refere-se a kyara, agarwood (jinkoh) e sândalo (byakudan).

Na cerimónia do incenso, o kohboku ou a madeira com fragrância divide-se em seis tipos.

  • Kyara
  • Rakoku
  • Manaka
  • Mananban
  • Sumotara
  • Sasora

O sistema de classificação do kohboku, que constitui a base para apreciar o incenso, chama-se Rikkoku-Gomi (seis tipos de incenso). Isto diz respeito aos seis antigos países do Leste Asiático onde as madeiras kohboku tiveram origem e aos cinco elementos usados para descrever os seus aromas. Todos os nomes dos países (Kyara, Rakoku, Manaka, Manaban, Sumotara, Sasora) representam uma classificação qualitativa da madeira kohboku e os cinco termos (picante, doce, azedo, amargo, salgado) são usados para descrever as diferentes essências.

Um pedaço de madeira kohboku pode criar mais de um fragrância ao ser queimada. Os pedaços de Kohboku têm, com frequência, uma mistura de múltiplas fragrâncias, dando origem a uma mistura indistinguível, dependendo da proporção e força de cada essência contida num pedaço de madeira.

A cerimónia do incenso (Koh-Do) consiste em dois aspectos.

1 Melhorar o bem-estar mental

Koh-do ou a cerimónia do incenso, Sa-do ou a cerimónia do chá, Ka-do ou arranjo floral... Porque razão é que os Japoneses têm tendência a dedicar-se a tais artes clássicas?

Numa sala calma, os participantes cheiram as fragrâncias seguindo certas regras de etiqueta.

Esta é uma hipótese para deixar de parte a azáfama diária, acalmando a mente e fazendo introspecção.

Melhorar a arte corresponde a melhorar a mentalidade.

2. O aspecto de jogo

Hosho = Uma folha onde são colocadas todas as respostas dos participantes.

Exemplo de como realizar uma cerimónia de incenso

Os incensários A, B e C são passados com os nomes dos pedaços de madeira com fragrância dados a conhecer aos participantes. Os participantes devem memorizar a característica de cada fragrância.

Depois, um pedaço de madeira com fragrância é escolhido de entre os três pedaços e O incensário que contém o pedaço escolhido é passado com o seu nome escondido. Agora adivinhe que fragrância é – A, B ou C.

Como preparar um queimador de incenso

  • 1. Acenda um pedaço de carvão1. Acenda um pedaço de carvão
  • 2. Ponha-o na cinza2. Ponha-o na cinza
  • 3. Tape-o com a cinza3. Tape-o com a cinza
  • 4. Molde a cinza para a forma de um  cone4. Molde a cinza para a forma de um cone
  • 5. Endireite a superfície da cinza5. Endireite a superfície da cinza
  • 6. Coloque um pedaço de madeira com fragrância no cimo6. Coloque um pedaço de madeira com fragrância no cimo

Etiqueta para cheirar ou ouvir a fragrância

Segure o incensário na palma da sua mão esquerda, mantendo-o horizontal, e coloque o polegar direito e o dedo mínimo ao longo do incensário.

Traga o incensário para perto do nariz, mantendo-o horizontal. Preste atenção à fragrância que sai do espaço entre o polegar direito e o dedo indicador.